Música do dia: Pra você guardei o amor

Música do Nando Reis (adoro Nando Reis) e Ana Cañas, fofura é o que há.

Guardei
Sem ter porquê
Nem por razão
Ou coisa outra qualquer
Além de não saber como fazer
Pra ter um jeito meu de me mostrar

Achei
Vendo em você
Explicação
Nenhuma isso requer
Se o coração bater forte e arder
No fogo o gelo vai queimar

Pra você guardei o amor
Que aprendi vendo os meus pais
O amor que tive e recebi
E hoje posso dar livre e feliz
Céu cheiro e ar na cor que o arco-íris
Risca ao levitar

Vídeo | Publicado em por | Marcado com , , , | Deixe um comentário

O amor é uma espécie de preconceito…

O amor é uma espécie de preconceito. A gente ama o que precisa, ama o que faz sentir bem, ama o que é conveniente. Como pode dizer que ama uma pessoa quando há dez mil outras no mundo que você amaria mais se conhecesse? Mas a gente nunca conhece.

— Charles Bukowski.

Citação | Publicado em por | Marcado com , | Deixe um comentário

Edvard Munch ‘Separation II’

Publicado em Eles fazem arte, Poesia da Imobilidade, Posts | Marcado com , , | Deixe um comentário

There are no words

Eu estava tentando fazer algo diferente, pra ver se saio desse clichê que é falar sobre você. Passei o dia todo fazendo combinações de palavras na minha cabeça, escrevendo uma ou outra aleatoriamente pra ver se conseguia ligá-las e, então, fazer algo diferente pela primeira vez em semanas.

Mas deixei pra lá quando ouvi essa determinada música meio que sem querer, e que simplesmente traduz parte do que eu precisava te falar. As minhas palavras não são mais suficientes, eu não consigo encontrar mais palavra nenhuma que possa soar nova aos seus ouvidos pra descrever tudo o que tu faz comigo.

E “eu poderia falar o dia todo sobre as notícias, te dando os assuntos atuais e os meus pontos de vista”, mas não poderia falar mais que isso sem repetir tudo o que tenho escrito pra você. Eu “poderia falar o dia todo sobre a vida, como depois de tantas guerras, continuamos vivos”, mas eu não poderia falar de você novamente sem me afogar em um mar de palavras já usadas por tanta gente pra falar de um amor, seja ele qual for.

Porque “quando eu tento dizer algo que você nunca ouviu antes, não há palavras”. Não há palavra nesse mundo que possa me ajudar na missão impossível que se tornou falar de você sem me repetir.

Então espero que você entenda que mesmo não tendo falado de você hoje até cansar, foi porque, eu juro que é verdade, não há palavras que descrevam você.

When it comes to you, baby, no, there are no, there are no words.
Publicado em Descarrego Emocional, Posts | Marcado com , , | Deixe um comentário

Música do dia: Resta um pouco mais

Música da banda Skank te amo Samuel Rosa!, do álbum Cosmotron (porque meus ouvidos estão para Skank assim como essa semana está para coisas nacionais).

Mas quando os meus olhos
Vão por aí
Levam junto os teus…

Vídeo | Publicado em por | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Meio sóbria

É sempre, sempre assim. Eu me decido a deixar algo ir de vez, tento pensar que esse é o melhor, e eu até consigo me convencer disso. Por um tempo.

Mas então uma frase, um olhar, um sorriso teu me fazem esquecer de tudo isso e agir por impulso, como uma garotinha de 13 anos que se apaixonou pela primeira vez e não sabe como lidar com isso.

E, de certa forma, é verdade: eu não tenho a menor ideia de como lidar com isso. Com você. Então eu sempre acabo jogando minha convicção pro alto, mandando um belo de um foda-se pra todo o discurso que fiz anteriormente em minha cabeça e repeti várias vezes sobre te deixar ir e me libertar junto contigo e vou. Vou de volta pra você, de volta pro “nós” que só existe na ficção barata que é isso aqui.

E eu me sinto sempre só meio sóbria quando se trata de você, como se a metade de mim que encheu a cara dominasse todas as vezes que visse um nadinha seu pelo caminho.

Agora, me explica como é que tu faz isso, cara? Porque não é possível que uma pessoa consiga ter tanto poder sobre outra assim, é errado pra caramba mesmo, então por que eu não consigo simplesmente deixar pra lá? Por que sempre tento achar uma desculpa pra voltar?

É tão injusto que eu demore uma eternidade pra me decidir sobre algo e quando eu finalmente decido, tu me aparece como se nunca tivesse ido embora, como se soubesse que é o único que pode me salvar!

E eu estou só meio sóbria enquanto olho pra você e volto a sentir tudo aquilo que eu nunca deixei de verdade de sentir, e então você me mantém acordada sem nem saber que pode me controlar assim, quando bem entende.

Porque a verdade cretina mesmo é que eu não consigo me manter afastada. Eu sempre volto, como se tu tivesse a porra de um imã pra me atrair sempre que fico longe demais. Então é tua vez agora, toma essa decisão por mim. Me faz o favor de tomar a decisão que eu sei que tu quer e se afastar logo, não voltar mais. Porque eu tô cansada de continuar nesse vai e volta sem fim.

Decide isso por nós, por favor, decide isso enquanto eu me dou um tempo de tudo e fujo pro lugar mais longe que consigo até que teu imã me puxe de novo e me faça voltar.

Porque perto de você, eu só fico meio sóbria, e a minha parte que acabou de se embebedar mais um pouquinho tá tomando conta de tudo agora.

Publicado em Descarrego Emocional, Posts | Marcado com | Deixe um comentário

Imagem | Publicado em por | Deixe um comentário